Um pouquinho sobre No / Low Poo

light-long-hair-texture

Um dia estava à toa no facebook quando vi que ele estava sugerindo que eu participasse de um grupo – “No / Low Poo”. Corri pra quem a gente sempre corre: oi, é de comer, google?Uma olhadela rápida nos resultados e a confirmação daquilo que muitos anos de aulas de inglês me intuíam: pouco / nenhum shampoo. Okay.

Esses dias lembrei do termo e fiz uma pesquisa com mais calma. Sorte a minha! Aprendi muuuitas coisas e acho super importante repassar essas informações, porque eu acredito que todo mundo tem o direito – talvez dever? – de saber o que está consumindo.

Acontece que o sulfato, que é um dos agentes de limpeza mais comumente encontrados nos shampoos, pode acabar limpando tanto, mas tanto, que acaba prejudicando o fio: além das sujeiras acumuladas, ele remove também alguns nutrientes e isso resseca o cabelo.

Então com o nosso cabelo devidamente limpo pelo sulfato (e devidamente ressecado), o que fazemos em seguida? Corremos para os petrolatos, derivados de petróleo, que nos prometem milagres (maciez, suavidade, brilho, etc). A verdade é que essas substâncias não adicionam nada de bom ao fio; elas nem hidratam, nem nutrem, nem reconstroem. Elas basicamente mascaram a realidade ao criar, superficialmente, a sensação de que o cabelo está macio, sedoso, hidratado.

Mas pera, para tudo! Que história de terror! E tem como remover esses petrolatos do cabelo? Tem, sim. Sabe como? Lavando com sulfato… E assim cria-se um ciclo vicioso no qual, na verdade, você está retirando os nutrientes do seu cabelo e adicionando não-nutrientes.

Os praticantes do Low Poo usam shampoos com outras substâncias limpantes, além de não usarem produtos que contenham petrolatos. Contudo, alguns dos produtos que eles usam podem conter silicones (solúveis ou não em água – daí a necessidade do uso de um shampoo). Já os seguidores do No Poo não utilizam shampoo. Ao invés disso, eles fazem uma técnica chamada de co-wash, que nada mais é do que uma lavagem feita com condicionadores específicos (sem sulfatos, sem petrolatos e sem silicones).

Embora essas técnicas sejam mais conhecidas e feitas por meninas de cabelos crespos (afinal, eles são naturalmente mais secos), há cerca de 1 mês eu optei por seguir o Low Poo – juntamente com um bom cronograma capilar, que abordarei em outro post – e devo dizer que já sinto meu cabelo diferente, sem tanto frizz e sem aquela sensação de ressecamento.

Vale a pena pesquisar mais sobre o tema e, quem sabe, aderir às técnicas e ter cabelos cada vez mais bonitos e saudáveis. Eu recomendo demais ler o post do blog Cacheia, que é um dos melhores que vi sobre o assunto. Além das meninas terem anos luz à frente do tema, elas listam algumas das substâncias que devem ser evitadas. Corre lá!

Você tem dúvidas, sugestões ou quer compartilhar a sua experiência? Deixa um comentário abaixo e vamos falar mais sobre isso 😉

Anúncios

Um comentário sobre “Um pouquinho sobre No / Low Poo

  1. Simone disse:

    Adorei as dicas!! Achei muito bom falar de cabelo, que é sem dúvida uma das maiores preocupações de nós mulheres!!

    Curtir

Os comentários estão desativados.